Esperantina - PI, sábado, 13 de abril de 2024

Sete cidades decretaram estado de emergência e calamidade por conta das chuvas, diz Defesa Civil

Por Clenilton Gomes em 07/04/2023 às 16:37

O Piauí já tem sete cidades que decretaram estado de emergência e de calamidade em decorrência das fortes chuvas que atingem o estado, informou a Defesa Civil Estadual nesta sexta-feira (7).

As cidades nessa situação são: Batalha, Campo Largo, Piripiri, Domingos Mourão, Barras, Luzilândia e Pedro II. Segundo o órgão, áreas mais atingidas pelas chuvas estão na região norte do Estado, especialmente a área da Bacia do Longá, que envolve os rios Marathaoan, Longá, Piracuruca, além de córregos e riachos dessas sete cidades.

“Está chovendo muito em algumas cidades, alguns locais que são próximos de rios, as prefeituras já decretaram estado de emergência como Barras, Domingos Mourão, Luzilândia e Esperantina. A Defesa Civil tem visitado essas cidades e está acompanhando a situação delas”, explicou o assessor técnico e climatologista da Defesa Civil, Werton Costa.

“Nós da Defesa Civil fazemos monitoramento remoto e também com a rede de contato com as coordenadorias e Defesas Civis municipais. Fornecemos informações meteorológicas e climatológicas e os alertas sinalizando os riscos, dentro do padrão de risco a que estão submetidos os municípios”, declarou.

Segundo a Defesa Civil, no estado existem barragens de competência do Governo Federal e outras que são de responsabilidade do Governo Estadual, e que até quinta-feira não havia nenhuma sinalização de risco. O transbordamento em algumas delas é considerado um processo natural por causa das chuvas.

Existe uma diferença entre os estados de calamidade e emergência, que está na capacidade de resposta do Poder Público à crise. No caso da situação de emergência o comprometimento da capacidade de resposta do Poder Público do ente atingido é parcial, se caracteriza pela iminência de danos à saúde e aos serviços públicos. No caso de calamidade, o comprometimento da capacidade de resposta do Poder Público do ente atingido é substancial, e existem danos à saúde e aos serviços públicos.

Informações: Cidadeverde