Esperantina - PI, sábado, 13 de abril de 2024

Rafael Fonteles faz pedido à população e adianta o que cobrará nos 100 dias de governo

Por Clenilton Gomes em 31/12/2022 às 14:59

Esperançar e imprimir uma velocidade maior nas ações do governo são expressões quase que obsessiva quando se conversa com o futuro governador do estado, Rafael Fonteles (PT) sobre sua nova gestão. Ele deixa bem claro que quer implantar um novo modelo de governo, mesmo tendo um mesmo “DNA político” das administrações de Wellington Dias e Regina Sousa.

Rafael Fonteles adiantou o que irá cobrar dos secretariados nos primeiros 100 dias de governo. Ele também fez um pedido à população após assumir em 1º de janeiro.

“O que a gente pede ao povo do Piauí, além de agradecer, é que nos avalie pelo cumprimento de metas. Eu já vi muitas campanhas eleitorais, não estou falando do Piauí, falo do Brasil, em que o programa de governo, aquilo que foi escrito parece algo secundário. No nosso caso, a gente valorizou cada parágrafo que foi escrito. Vou levar muito a sério, e fiz (plano de governo) com a experiência de quem foi secretário por oito anos da Fazenda, que conhece o orçamento e conhece o que dará para fazer. E digo mais: fizemos um plano sem contar com o governo federal. Vamos superar as metas. Quero ser avaliado pelo povo a partir do cumprimento das metas. Tenho muita confiança de que a gente vai cumprir”.

Metas para os 100 dias de governo 

“Os 100 primeiros dias são utilizados sempre, e como se tem uma série de secretários novos, inclusive em pastas robustas, importantes, é um momento de organização. Da mesma forma que me dediquei a formação de primeiro e segundo escalão, é a hora de cada secretário pensar bem na formação de sua equipe, nos seus 30 dias, 60 dias, 90 dias. Escolher bem as pessoas, estabelecer bem a programação, planejamento, o que a gente cobra mais da equipe é a capacidade de organização. Desdobrar a meta geral, que falei na campanha, vou passar para cada um deles, o programa de governo, desmembrar isso em metas específicas. Esse é o trabalho que tem que ser feito em 30, 60, 90 dias. Para que ao final do primeiro bimestre ou semestre saiba poder contar o que será feito na pasta e com que velocidade”.

Piauí viverá melhor momento da história

“Vamos viver o melhor momento da história do Piauí com alinhamento com o governo Lula e da bancada federal. Vamos ter um ministro, o ex-governador Wellington Dias, vários ministros que foram governadores do nordeste, uma bancada de federal de oito na base, dois senadores. É um momento único. Por isso, dá para apostar numa velocidade grande da implementação das metas”.

Segurança 

O futuro governador garantiu que vai cumprir a meta de chamar 4 mil homens e mulheres para a Polícia Militar, promessa que fez na campanha.

“O secretário Chico Lucas vai apontar caminhos em que velocidade iremos nomear. Já temos 1 mil e agora mais 500 que foram para o curso de formação, no mínimo 1500 no primeiro ano. No segundo ano é mais 1.500? é mais 1000, isso é a dinâmica do cumprimento de metas que será estabelecido. A mesma coisa na Educação. Queremos as primeiras posições do Ideb, como isso vai ser feito? Temos o compromisso de fazer no mínimo 100 novas escolas por tempo integral, em que velocidade vai ser feito? Eles terão 90 dias para poder apresentar o desdobramento das metas específicas e com base nisso vão vir as cobranças. A meta será estabelecida pelo próprio secretário, será o momento para ele apresentar as condições de atingir as metas. Vai precisar de mais orçamento, mais equipe, precisa de um novo organograma da sua própria secretaria, o secretário que vai dizer”.

Enfrentar desgastes

“Mesmo governo há 20 anos, naturalmente há um desgaste em qualquer espaço de poder, mesmo assim a população dobrou a aposta, tanto que deu a maior votação em número de votos da história para um governador do estado. A população sentiu confiança no momento em que a gente apontava o problema, reconhecia o problema. Essa é uma vantagem do nosso time, saber que fez muito, mas sabe que tem muitos desafios”.

Mensagem para o piauiense

“A palavra sem dúvida é a esperança. Esse foi o mote da nossa campanha, da campanha do presidente Lula. Em âmbito federal nós convivemos com um verdadeiro desmonte das políticas públicas. Se você comparar o Nordeste, Piauí, no Brasil houve desmonte das políticas públicas na saúde, educação, na cultura, na ciência e tecnologia, em todas as áreas. Aqui no Piauí nos conseguimos manter com Wellington Dias e Regina Sousa a base social com mais dificuldade, pois não tínhamos apoio do governo federal”.

Prioridades

“Mesmo com DNA político, vamos priorizar os mais pobres, fazer um governo com participação popular, com respeito aos direitos humanos, a sustentabilidade ambiental. Batemos o recorde histórico de investimentos, superando R$ 2 bilhões e 300 milhões. O povo do Piauí pode confiar no entusiasmo, na vontade, na dedicação do governador e da equipe. Estamos em um momento especial com alinhamento com o governo federal. Com muita presença nos ministérios dos governadores do nordeste e com esse time novo, essa renovação por dentro, contando com uma nova geração, combinada com geração anterior, para melhorar os serviços públicos e gerar emprego e renda”.

 

Yala Sena