Esperantina - PI, domingo, 21 de julho de 2024

Greco será extinto e novo departamento vai combater facções criminosas no Piauí

Por Clenilton Gomes em 06/02/2023 às 07:43

Após cerca de dez anos, o Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) será extinto. Em breve, a delegacia especializada, criada com a finalidade maior de combater roubos à instituições financeiras, será reestruturada. Com a ampliação vem uma nova nomenclatura e o status de departamento para o enfrentamento direto às facções criminosas. O Greco passará a se chamar Draco (Departamento de Repressão às Ações Criminosas Organizadas), nome já utilizado em outros estados.

O delegado Charles Pessoa, coordenador do Greco, explica as mudanças foram propostas pelo atual secretário de Segurança Pública do Piauí, Chico Lucas, em diálogo com o delegado-geral de Polícia Civil, Luccy Keiko. No momento, policiais da especializada estão em processo de capacitação para o enfrentamento às organizações criminosas, um dos problemas enfrentados na área da segurança no estado.

“Para atender a diretriz da Secretaria de Segurança Pública, do nosso secretário Chico Lucas e do nosso delegado-geral, Luccy Keiko, o Greco está passando por um processo de reestruturação, uma ideia dos nossos gestores. O Greco passará de um grupo para um departamento. Além de mudar toda a estrutura organizacional, será aumentado o efetivo, a nossa capacidade operacional. Os policiais estão passando por um treinamento, um processo de capacitação voltado especificamente para o enfrentamento às facções criminosas. Combater facção criminosa não é fácil, então a gente precisa de um treinamento específico”, disse o coordenador do Greco.

Ele adianta que a mudança na formatação do Greco inclui investimentos também no setor de inteligência.

Sobre a nova nomenclatura, ele pontua que passa pela ideia de padronização da Polícia Civil Brasileira. A mudança anunciada ainda será publicada por meio de decreto no Diário Oficial.

“Estamos investindo muito na área de inteligência. Como resultado disso é possível observar que, praticamente, todos os dias, o Greco desenvolve alguma ação com o objetivo de combater esses grupos organizados. Já iniciamos o processo de apresentação de resultados”, pontua Pessoa.

A onda acelerada de assassinatos tem mobilizado o sistema de Segurança Pública do Piauí que caracterizou a situação como uma “guerra entre criminosos”, membros de  facções que usufruem da alta circulação de armas de fogo ilícitas. O coordenador do Greco reforça o empenho diário das forças de segurança no estado.

“A gente está com um pouco mais de um mês de gestão.  Mas posso assegurar que nós [Polícia Civil, Polícia Militar- de forma integrada com o Ministério Público e o Poder Judiciário- bem como com sistema penitenciário] estamos trabalhando diariamente, além da parceria com outras forças de segurança dos estados vizinhos. Logo logo, a sociedade piauiense irá sentir os resultados desse trabalho voltado para o enfrentamento direto à essas facções criminosas. Com certeza, vamos diminuir os índices de criminalidade violenta”, garante o delegado.

Charles Pessoa cita uma operação de grandes proporções realizada na semana passada que resultou em um prejuízo de aproximadamente R$ 1 milhão à criminalidade, somente com a apreensão de drogas.

A formatação do Draco, como será dividido internamente, ainda está sendo concluída.

“Adianto que será um departamento composto de várias delegacias e alinhamento direto com as regionais do interior do estado, distritos policiais na Capital e integração com a Polícia Militar e sistema penintenciário. A restruturação do Greco para o Draco também conta o aparelhamento para que os policiais possam desenvolver suas atividades diárias com eficiência”, finaliza Charles Pessoa.

Graciane Araújo