Esperantina - PI, sábado, 20 de abril de 2024

Governador lança projeto ‘Saúde Digital’ para fortalecer rede de saúde no Piauí

Por Clenilton Gomes em 24/04/2023 às 15:14

O governador Rafael Fonteles inaugurou, nesta segunda-feira (24), no município de Piripiri, o Projeto Piloto Piauí Saúde Digital. A ação, pioneira no Brasil, tem como foco transpor as barreiras socioeconômicas, culturais e, sobretudo, geográficas, para ampliar a oferta de serviços e informações em saúde à população do estado. O investimento previsto no projeto é de R$ 2.501.760,00, provenientes do Tesouro Estadual.

O Piauí Saúde Digital é um serviço com teleconsultas e telediagnósticos com o objetivo de expandir e melhorar a rede de serviços de saúde, sobretudo da atenção primária, e sua interação com os demais níveis, fortalecendo as redes de atenção à saúde do SUS.

Rafael Fonteles destacou a importância da implantação da telessaúde, começando por Piripiri. “Conseguimos integrar nos sistemas municipal, estadual e federal a possibilidade de oito especialidades médicas em cada uma das 31 Unidades Básicas de Saúde (UBSs), com exames de eletrocardiograma, para casos de infarto – principal causa de morte no Brasil na própria UBS – com enfermeiro de plantão e o técnico de Enfermagem, para aplicar a medicação correta. Isso integrado ao Hospital Regional Chagas Rodrigues, com a policlínica, que tem a central de exames. A maioria dos procedimentos médicos vai facilitar o atendimento daqueles que realmente têm necessidades de se internar, de fazer uma cirurgia eletiva, que seja um tratamento mais complexo e, sobretudo, vai diminuir os custos de tratamento de saúde no interior. É uma solução genuinamente piauiense, com uma tecnologia que temos junto ao SUS. Acredito que é algo disruptivo para o Brasil e para o mundo”, explicou Fonteles.

Além das 31 UBSs, o projeto contempla o Hospital Regional Chagas Rodrigues onde funciona também o Centro de Exames, ofertando consultas e laudos especializados de forma virtual.

“Todo o trabalho é acompanhado de perto por um enfermeiro treinado na UBS que auxilia os médicos durante a teleconsulta, podendo inclusive fazer o exame de eletrocardiograma na própria UBS”, disse o governador.

O projeto é pioneiro no Piauí e no Brasil pela sua integração. A ficha médica do paciente é disponibilizada para o Hospital Regional e também para todos os hospitais ponta de rede do Estado. “Com isso, vamos reduzir as filas de espera de pacientes não urgentes e o tempo para atendimentos, evitando os deslocamentos desnecessários de pacientes para outros municípios. Queremos implementar esse sistema em todos os 224 municípios do Estado. É a tecnologia aliada na melhoria da saúde e da qualidade de vida da nossa gente”.

O governador enfatizou que este é um serviço acessível a todas as cidades da região, integrando o sistema do município, do Estado e o da União. “A ação visa melhor a regulação, diminuindo o tempo de espera, resolutividade mais fácil e tudo isso com economicidade do poder público. Melhora para município, melhora para o Estado, melhora para o povo!”, enalteceu Rafael Fonteles.

O projeto já está presente nas 31 Unidades Básicas de Saúde de Piripiri e no Hospital Regional Chagas Rodrigues; e para viabilizar a operação do saúde digital, 250 profissionais já receberam treinamento.

O secretário de Estado da Saúde, Antônio Luiz Soares, falou sobre o pioneirismo do projeto. “É um projeto que não existe em lugar nenhum no Brasil, neste formato, no qual integra, desde a UBS, até uma central de exames laboratoriais, raios X, ultrassom e mamografia. Permite também que o agente de saúde vá até a casa do paciente, na zona rural, e faça a consulta com especialista. Em casos que precisem, realmente, de serviço presencial é que as pessoas irão para um hospital de referência. Fora isso, o sistema integrado permite consulta com especialista e exames integrados com a plataforma e a consulta com receita para medicação, inclusive, encaminhando ao hospital, se for necessário”, salientou o gestor.

No Hospital Regional Chagas Rodrigues, os pacientes com classificação de baixa complexidade (pulseira azul ou verde) podem realizar atendimento médico em minutos por telemedicina.

Casos que podem ser atendidos por telemedicina: Síndrome gripal (gripe, resfriado, rinite alérgica, Covid-19), desde que paciente esteja com boa saturação e respirando sem esforço e sem febre; infecção urinária sem sinais de alarme (dor lombar, febre ou calafrio); gastroenterite aguda (paciente que está com náuseas, vômitos, diarreia) sem febre; renovação de receitas médicas, desde que dentro do prazo de validade de 6 meses; análise de resultados de exames laboratoriais e de imagem; e solicitação de exames de rotina. Pacientes apáticos e com febre há mais de dois dias precisam passar pelo atendimento presencial.

Fonte: CCOM