Esperantina - PI, domingo, 21 de julho de 2024

Dados do IBGE mostram que um brasileiro é roubado a cada 17 segundos

Por Clenilton Gomes em 19/12/2022 às 20:34

Um brasileiro foi vítima de roubo a cada 17 segundos no ano passado. Os dados, divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mostram o impacto da violência na sociedade brasileira, dentro e fora de casa.

Em boa parte dos casos, as vítimas ficaram sob a mira de uma arma e em pelo menos 2 de cada 3 casos, perderam um celular.

  • 1,8 milhão de brasileiros foram assaltados no país em 2021;
  • O número é equivalente a 7 assaltos em 2 minutos;
  • A maior parte dos assaltos (1,4 milhão) ocorreu fora de casa;
  • Em 95% dos roubos de carro, foram usadas armas.

A pesquisa ainda identificou os principais itens roubados. Os telefones celulares lideram a lista.

Dentro de casa:

  •  Celular: 64%
  • Dinheiro: 31,2%
  • Joias, bijuterias ou relógios: 19,2%
  • Eletrodoméstico: 18,9%
  • Documento: 16,3%

Fora de casa:

  • Celular: 83,7%
  • Dinheiro: 36,3%
  • Documento: 23,4%
  • Cartão de crédito, débito ou cheque: 18,5%
  • Joias, bijuterias ou relógios: 10%.

Nem todos procuram ajuda da polícia. E os motivos para isso são variados:

  • Não acredita na polícia: 26,9%
  • Recorreu a terceiros ou resolveu sozinho: 24,3%
  • Alegou falta de prova: 15,2%
  • Tinha medo de represálias: 12,8%.

Número de furtos é ainda maior

A pesquisa do IBGE, feita em parceria com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, teve como base os números da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua do quarto trimestre de 2021.

Também foram levantados os números de furtos (quando não há ameaça ou violência) no país: 3,1 milhões de pessoas, pelo menos, foram vítimas desse tipo de crime. Os veículos foram bastante visados pelos assaltantes.

Quase 400 mil bicicletas e 200 mil carros foram furtados naquele ano.

Quem se sente mais inseguro?

Falta coragem para andar na rua à noite? Essa sensação é comum a metade (51,7%) dos brasileiros e brasileiras, mas as mulheres, de um modo geral, se sentem mais inseguras que os homens. A taxa entre elas sobe para 58%.

Além disso, quando se trata de violência policial, as pessoas negras têm mais medo de abordagens violentas do que as pessoas brancas (12,5% contra 8,5%). Eles também lideram a estatística de pessoas com medo de serem confundidas com bandidos: 12,5% contra 6,8% dos brancos.

Fonte: Uol